Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

A ação é do Programa Diversidade na Saúde e contará com palavras chaves para melhor comunicação no atendimento aos pacientes.

 

 

Objetivando melhorar a comunicação entre os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), de comunidades indígenas, os técnicos da Secretaria de Estado da Saúde (SES-TO) realizaram diversas visitas técnicas em aldeias do Estado do Tocantins, a fim de captação do glossário indígena.

“A SES-TO compreende que a falta da compreensão comunicacional traz prejuízo ao processo de saúde do usuário e entende que a disponibilização de um glossário indígena possibilita ao trabalhador da saúde compreender a linguagem falada desses povos originários, garantindo-lhes direitos constitucionais e possibilitando que o SUS seja mais igualitário”, explicou o coordenador do Programa Diversidade na Saúde, da SES-TO, Francisco de Assis Neves Neto.

Ainda segundo o coordenador, “uma comunicação adequada e esclarecedora é fundamental no processo de produção de saúde, principalmente nas informações fornecidas pelos pacientes às equipes multiprofissionais, desde o processo de triagem até o atendimento final do paciente”, esclareceu.

O Glossário Indígena será lançado escrito, em vídeo e podcast. É um projeto embrionário na construção de saúde, estabelecendo o elo compreensível através da linguagem entre profissionais de saúde e população indígena, facilitando o atendimento e diagnosticando casos com mais agilidade e precisão.

Congresso

Para fomentar as ações de diversidade na saúde a SES-TO esteve presente no 13° Congresso de Saúde Coletiva e Assistente Social, em Salvador, apresentando artigo intitulado ‘Diversidade e SUS, Relações de Trabalho na Política de Saúde do Tocantins’, que é um dos eixos do PDS.

Segundo Francisco Neto “poder participar desse espaço de educação em nível nacional e levar o primeiro programa desse nível para os demais estados, nos possibilita pensar em políticas públicas que acolham todos os grupos sociais”, disse.

Ações e políticas de inclusão

Ainda em Salvador, Francisco Neto realizou trocas de experiências com o grupo técnico do Centro de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT, da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social. O núcleo, que faz parte da Secretaria de Políticas para Mulheres do Governo do Estado da Bahia (SPM/BA), trabalha com públicos LGBTQIAPN+.

Na ocasião, além de participar de uma reunião técnica na SPM/BA, o representante do PDS/SES-TO esteve também com a secretária executiva do conselho estadual de defesa dos direitos das mulheres, Millena Passos, primeira mulher trans do Brasil a ocupar um cargo em uma secretaria de mulheres.

“Possibilitar a diversidade nos espaços de trabalho possibilita a desconstrução de comportamentos preconceituosos entre os trabalhadores, visto que ter o invisibilizado (a) nas relações de trabalho garante um espaço mais plural, diverso e uma equipe mais humana, melhorando assim as relações de todos que necessitam do SUS”, finalizou Francisco.

Anúncios

Recentes