Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Participam servidores envolvidos diretamente nas assistências e coleta de amostras dos pacientes suspeitos ou confirmados com a doença.

 

 

Começou na segunda-feira (05) e segue até a quarta-feira (07), uma capacitação sobre Fluxograma interno para atendimentos de paciente grave com Monkeypox.  As orientações sobre a doença são para profissionais de saúde do Hospital Regional de Araguaína (HRA).

A capacitação é direcionada a todos os profissionais que estão envolvidos diretamente nas assistências e coleta de amostras dos pacientes suspeitos ou confirmados com a doença.   “O principal objetivo é proporcionar uma assistência segura e de qualidade a todos os profissionais da saúde e paciente”, disse o coordenador do Núcleo de Atenção à Saúde e Segurança do Trabalhador (NASST), Jader Silva.

O coordenador acrescentou que “o uso de equipamentos de proteção individual (EPI’s) é essencial para garantir a biossegurança no âmbito hospital já que são eles que vão prevenir de contaminação de microrganismos, como por exemplo, fungos e bactérias que provocam doenças mãos especificamente os vírus no caso específico, o Monkeypox, da varíola dos macacos”.

“Todos os profissionais envolvidos, como enfermeiros, técnicos e outros, precisam de ter entendimento da doença, para poder atender os casos com segurança. Isso é para qualquer patologia, sem conhecimento não tem atuação” frisou a infectologista, Carina Amaral Feriane.

A capacitação é uma realização do NASST, Comissão de controle de Infecção hospitalar (SCIH), Núcleo de Vigilância epidemiológica, Central de Notificações, Segurança do Paciente e Núcleo de Educação permanente (NEP).

Foto: Elder Silva/ Estado do Tocantins

Anúncios

Recentes