Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp

O suspeito foi indiciado por homicídio culposo. Vítima foi atropelada pelas costas enquanto caminhava às margens de avenida.

 

O suspeito de atropelar e matar a bióloga Perla Cruz do Nascimento Venturini, de 40 anos, pagou fiança de 30 salários mínimos, equivalente a R$ 36 mil, para não ficar preso. Segundo a Polícia Civil, o homem foi indicado por homicídio culposo e liberado pela Justiça para responder em liberdade.

Perla Cruz foi atropelada por uma caminhonete enquanto caminhava às margens de uma avenida em frente ao campus Instituto Federal do Tocantins (IFTO) em Porto Nacional, no Jardim América, no último sábado (3). A mulher foi levada para a UPA, más não resistiu aos ferimentos.

Um vídeo feito por câmera de segurança mostra a caminhonete passando, pulando o quebra-molas e atingindo a vítima pelas costas. O suspeito foi preso pela Polícia Militar momentos depois.

O veículo só foi apreendido pela polícia nesta segunda-feira (5). A Secretaria de Segurança Pública afirmou que a perícia foi realizada e o inquérito foi instaurado para esclarecer toda a dinâmica dos fatos. Não há um prazo para conclusão.

Entenda

 

Segundo a Polícia Militar, o homem foi identificado através das câmeras de segurança do local onde aconteceu o acidente. Depois da identificação, os policiais começaram a procurar o suspeito, que foi detido em sua casa.

O homem confessou o atropelamento, porém, negou a realização do teste do bafômetro. A caminhonete preta foi encontrada na garagem da casa.

O que diz a Polícia civil

 

Com relação ao caso do atropelamento e consequente morte da bióloga Perla Cruz do Nascimento, fato ocorrido no último sábado, dia 3, em Porto Nacional, a Polícia Civil do Tocantins (PC-TO) esclarece que a prisão do suposto autor do atropelamento foi realizada pela Polícia Militar, pouco depois do fato.

Esclarece ainda que o indivíduo foi apresentado ao plantão policial em Porto Nacional, sendo que a Polícia Civil adotou todas as medidas legais cabíveis. O indivíduo foi indiciado por homicídio culposo e foi liberado pela Justiça após o pagamento de fiança no valor equivalente a 30 salários mínimos.

A camionete foi apresentada e periciada pela Polícia Científica do Núcleo de Criminalística de Porto Nacional, cujos laudos auxiliarão na conclusão do inquérito policial.

A PC-TO esclarece por fim que o inquérito já foi instaurado, visando esclarecer toda a dinâmica dos fatos.

Mulher morreu após ser atropelada — Foto: Reprodução

Anúncios

Recentes