Document

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp

A recomendação visa garantir uma vida mais saudável e uma melhor assistência hospitalar aos pequenos.

 

 

Com intuito de evitar a superlotação da ala pediátrica, bem como garantir que as crianças tenham uma vida mais saudável, o Hospital Geral de Palmas (HGP) reforça as recomendações para aos responsáveis legais. A medida leva em consideração o aumento de atendimentos do referido público, na unidade hospitalar, em março deste ano, em comparação com o ano passado. Em março de 2022 foram recebidas 2.747 pacientes e no mesmo mês, de 2023, 3.351, um aumento de 21.98%.

Segundo a médica, coordenadora da ala pediátrica, Karla Noleto, alertou que “houve um aumento nos atendimentos pediátricos nessas últimas semanas, não só aqui, mas em várias regiões do país. Nós adultos provavelmente já entramos em contato com esses vírus ou cepas semelhantes e também tivemos a oportunidade de nos vacinarmos, então provavelmente teremos sintomas mais leves, já as crianças pequenas e principalmente os menores de seis meses não possuem as defesas suficientes para lidar com esse arsenal de vírus que estão circulando. É uma infecção que pode ser leve para nós, e grave para os pequenos”.

A especialista recomendou que “precisamos redobrar nossos cuidados, bem como intensificando a higiene respiratória como lavagem nasal; lavagem de mãos; uso de máscaras e se tiver sintomas gripais, evitar visitar crianças pequenas. Ainda é preciso estar com calendário vacinal em dia; evitar locais fechados e aglomerados e algo de suma importância seria ter o acompanhamento seja no seu  pediatra, ou na unidade básica de saúde”.

O fluxo?

O acompanhamento normal das crianças é feito por meio das Unidades Básicas de Saúde. Em casos de urgência, a população deve procurar uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que após avaliação, encaminha o paciente para a rede hospitalar. Esta última é indicada para os casos graves, onde estão internados pacientes das mais diversas patologias, como meningite, pneumonia graves e outros. Caso tenha a necessidade de internação o paciente é encaminhado para um leito adequado conforme sua gravidade.

Luciana Barros/Governo do Tocantins

                                                              

Anúncios

Recentes