Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Empresária mantinha uma clínica de estética em Taquaralto, região sul da cidade.

 

Uma empresária, dona de uma clínica de estética, foi indiciada por exercício ilegal da medicina. Ela mantinha um estabelecimento em Taquaralto, região sul de Palmas, onde realizava a aplicação de botox.

A Polícia descobriu o crime por meio da funcionária que divulgava, em seu Instagram, as aplicações de toxina botulínica (Botox) que eram realizadas no estabelecimento.

A funcionária também foi indiciada pelo mesmo crime. Isso porque era ela quem realizava os procedimentos nas clientes e não possuía graduação na área médica.

Ao ser interrogada a funcionária confirmou que não era graduada ainda para aquela modalidade, mas que em poucos meses concluiria o curso de odontologia, segundo o delegado titular da 2ª Delegacia Especializada de Repressão às Infrações de Menor Potencial Ofensivo, Ibanez Aires.

Segundo a funcionária, a dona da clínica sabia que ela não possuía formação acadêmica compatível com a atividade exercida.

A empresária e a funcionária foram indiciadas pelos crimes, respectivamente, de exercício ilegal da medicina, arte dentária ou farmacêutica e exercício ilegal da profissão que prevê pena de detenção máxima de até dois anos.

Anúncios

Recentes