Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp

Operação foi realizada por policiais civis da 5ª DEIC e também da 5ª DEAMV de Guaraí.

 

 

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da 5ª Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher e Vulneráveis – 5ª DEAMV e da 5ª Divisão Especializada no Combate ao Crime Organizado – 5ª DEIC, ambas de Guaraí, prenderam na manhã desta sexta-feira, 25, um homem de 26 anos, pelos crimes de ameaça, lesão corporal, bem como tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo.

Comandada pelo delegado Adriano Carrasco, a ação, que resultou na captura do homem, teve início logo nas primeira horas da manhã, quando os policiais civis da duas unidades especializadas, com apoio de agentes da 4ª Delegacia Regional de Guaraí, encontraram o homem em via pública e deram cumprimento a um mandado de prisão preventiva, em desfavor do indivíduo em razão de prática de violência doméstica.

Na oportunidade, os policiais civis também deram cumprimento a um mandado de busca e apreensão na residência do investigado e apreenderam porções de drogas, além de um revólver, calibre 32.

Denúncia

De acordo com a autoridade policial, a vítima procurou a delegacia para relatar que havia sido vítima de violência doméstica. Em seu depoimento, a mulher disse que havia sido ameaçada por meio de uma arma de fogo, além de que o agressor deu murros no rosto e cortou o cabelo dela. Diante dos fatos, a Polícia Civil deu início às investigações e pouco tempo depois, constatou a veracidade dos fatos.

Desse modo, o delegado representou pela prisão do indivíduo, a qual foi deferida. “Quando da realização da busca, foi encontrada a arma de fogo usada para ameaçar a vítima, sendo o autor conduzido à delegacia em razão da arma encontrada, assim como por ter sido decretada a prisão preventiva dele já que também é investigado por tráfico de drogas”, disse a autoridade policial.

Após a realização dos procedimentos legais cabíveis, o preso foi recolhido à Unidade Penal de Guaraí, onde se encontra à disposição do Poder Judiciário.

 

Para o delegado, a prisão do indivíduo representa mais tranquilidade, não só para a mulher que estava sendo vítima das agressões e ameaças, mas também para a sociedade em geral. “Trata-se de uma prisão muito significativa, pois as condutas delituosas são consideradas graves, fora o fato de que o homem estava de posse de uma arma de fogo, que poderia ser usada na prática de crimes diversos, incluindo homicídio”, ressaltou o delegado Adriano.

Rogério de Oliveira/Governo do Tocantins

Anúncios

Recentes