Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

No Estado são realizadas captações de múltiplos órgãos e transplantes de córneas.

 

 

“A doação de órgãos para mim, é um ato de coragem e amor ao próximo, e espero que a felicidade das famílias receptoras possa servir de exemplo e incentivo para quem ainda pensa o contrário”, este é o relato da senhora Vania Miranda de Araújo, que no dia 07 de setembro deste ano, autorizou a captação de órgãos de sua filha, Natália Miranda da Luz.

Vania Miranda de Araújo, conta como foi autorizar a captação de órgãos da filha “ela tinha apenas 19 anos, confesso que entrei em choque com o diagnóstico de morte encefálica, e um misto de sentimentos tomou conta de mim. Foi então que a equipe médica falou da doação de órgãos. Pedi um tempo para raciocinar sobre o assunto, conversei com o pai dela e minha irmã que estava comigo. E assim, eu e o pai dela tomamos juntos a decisão de doar os órgãos da nossa filha”.

Ainda segundo a mãe o ato foi autorizado por acreditarem na importância deste processo “mesmo sendo doloroso, pensamos na felicidade das famílias receptoras, pois minha filha sempre foi símbolo de alegria e nada mais justo que deixar este legado em outras pessoas”, finaliza.

No dia 27 de setembro é celebrado o Dia Nacional de Doação de Órgãos. A data foi instituída pela Lei nº 11.584/2.007 e tem o objetivo de conscientizar a sociedade sobre a relevância deste ato, e incentivar as pessoas conversem com seus familiares, pois são eles que podem autorizar a captação.

Segundo a responsável pela Central de Transplante do Tocantins, Suziane Aguiar Crateús Vilela, “a doação de órgãos é um ato de relevância para a sociedade, uma vez que melhora a qualidade de vida do receptor e assim aquela família toda é beneficiada. A doação envolve muitos parceiros, a equipe trabalha incansavelmente para concretizar o desejo da família doadora. E a gratidão é imensa em fazermos parte deste trabalho, e agradeço as famílias tocantinenses que disseram SIM a doação e ajudaram vidas a serem transformadas” afirma.

Mudança de vida

A jovem Isabela Vieira Costa, de 25 anos, sabe a importância da doação, no início deste ano, após descobrir uma úlcera de córnea precisou realizar a cirurgia. “Estou morando no Tocantins há 6 meses, e com um mês no Estado descobri que precisava realizar um transplante de córnea e por milagre de Deus tudo foi bem rápido”.

Isabela complementa que “sabe, aprendi que nunca sabemos o dia de amanhã, as coisas acontecem na nossa vida em questão de segundos. Nunca me imaginei em uma situação de precisar de um transplante, e hoje, tendo essa visão, eu noto ainda mais a importância da conscientização da doação de órgãos, em todos  os seus campos. A gente nunca sabe quando nós, ou alguém que amamos pode precisar”.

Ainda segundo Isabela, se não fosse a disponibilidade da córnea ela poderia ter perdido visão, pois a bactéria estava perfurando seu olho. A jovem aproveita para agradecer aos familiares do doador “eles no momento da perda, tiveram essa conscientização e compaixão com o próximo. Agradeço todos os dias, e rezo todos os dias por eles, em forma de agradecimento. Graças a eles, hoje estou enxergando e continuando minha vida”, agradece.

 

Dados de captação e transplante

 

No Tocantins, a captação de órgãos teve início em 2018, e, até o momento, já foram feitas 31 captações, 09 este ano. Além de órgãos, no Estado também é realizada a captação de tecidos oculares. De 2018 a 2022, o Tocantins teve 183 doadores de córnea, neste ano foram 29 doações.

No Estado é realizado o transplante de córneas, e de acordo com dados da Central Estadual de Transplantes, de 2018 a 2022 foram feitos 171 transplantes, sendo 42 neste ano.

Anúncios

Recentes