Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

O procedimento de alta complexidade foi realizado pela equipe do Serviço de Reconstrução Crânio Facial e consiste no implante de uma prótese importada.

 

 

 

Mais uma conquista no Sistema Único de Saúde (SUS) do Tocantins. O Hospital Geral de Palmas (HGP) realizou recentemente um procedimento inédito com a instalação de uma prótese no maxilar do lado direito de um paciente de 44 anos, em tratamento oncológico na unidade hospitalar.  A cirurgia de alta complexidade foi conduzida pela equipe do Serviço de Reconstrução Crânio Facial, no intuito de levar bem-estar e qualidade de vida ao usuário.

“Quando eu soube dessa notícia que eu podia fazer o procedimento como este, foi a realização de um sonho, pois do jeito que eu estava, comparado como estou agora, a diferença é muito grande”, estas foram as palavras do padeiro, Josimar Braga durante sua consulta pós-cirúrgica esta semana. Ele segue em recuperação e recebendo todo o acompanhamento ambulatorial necessário, no HGP.

“O paciente veio encaminhado do Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço para o Serviço de Reconstrução Crânio Facial, no intuito de realizarmos a reconstrução, na parte de bucomaxilo. Então o planejamento foi solicitar uma prótese personalizada em liga de titânio. Uma tomografia do paciente foi realizada e encaminhada à empresa que por computação gráfica trabalhou as imagens dando forma ao desenho que nós solicitamos. Uma peça extremamente delicada uma espessura de 0,6 milímetros, só poderia ser confeccionada por manufatura aditiva, (camada por camada). A empresa terceirizada tem uma parceria fora do Brasil e a peça foi importada com autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária”, detalha a doutora Daniela Carvalho, especialista em reconstrução mandibular que atua no serviço de Reconstrução Crânio Facial do HGP.

A especialista acrescentou que “conseguimos adaptar para desenvolver esta peça que encaixa perfeitamente no paciente, o qual recebeu alta hospitalar, dois dias depois e  após 15 dias estará recuperado para o retorno das atividades normais da rotina. Evoluímos da pesquisa para a parte prática, que necessitou da área de engenharia mecânica também  para fornecer a prótese. É uma tecnologia que  além da atuação na área dos profissionais de saúde. Este tipo de procedimento não faz parte do rol do SUS, mas foi uma iniciativa do Governo do Estado, para proporcionar um  tratamento ao paciente de última tecnologia que se tem na área de serviço  crânio facial. É uma vitória ver este resultado, com uma peça personalizada, que devolva não só a estética como a função”,  explicou a  doutora.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Afonso Piva, “o nosso objetivo é promover um SUS que faça a diferença na vida das pessoas. Poder ver este paciente realizar um sonho através de uma ação pontual da equipe da Secretaria é uma realização para nós também. Tudo isso é possível porque temos um governador que pensa nas pessoas e nos dá todo o respaldo para proporcionar uma saúde pública cada dia melhor”, afirmou o gestor.

Anúncios

Recentes