Assembleia reconhece calamidade pública de mais 36 municípios por conta da Covid-19

A calamidade foi reconhecida nos municípios de Aguiarnópolis, Aliança, Almas, Augustinópolis, Brejinho de Nazaré, Centenário, Esperantina, Lajeado, Maurilândia, Miracema, Nazaré, Palmeirópolis, Ponte Alta do Bom Jesus, São Miguel, Sítio Novo, Taguatinga, Ananás, Angico. Aparecida do Rio Negro, Aragominas, Araguaína, Arraias, Axixá, Bandeirantes, Barrolândia, Fátima, Goiatins, Pau D’arco, Peixe, Pium, Pindorama, Sampaio, São Sebastião, Tocantínia, Tocantinópolis e Xambioá completam a lista de municípios reconhecidos.  (Com informações da Dicom/AL)

Calamidade pública

A calamidade foi reconhecida nos municípios de Aguiarnópolis, Aliança, Almas, Augustinópolis, Brejinho de Nazaré, Centenário, Esperantina, Lajeado, Maurilândia, Miracema, Nazaré, Palmeirópolis, Ponte Alta do Bom Jesus, São Miguel, Sítio Novo, Taguatinga, Ananás, Angico. Aparecida do Rio Negro, Aragominas, Araguaína, Arraias, Axixá, Bandeirantes, Barrolândia, Fátima, Goiatins, Pau D’arco, Peixe, Pium, Pindorama, Sampaio, São Sebastião, Tocantínia, Tocantinópolis e Xambioá completam a lista de municípios reconhecidos.  (Com informações da Dicom/AL)

Menos de 10% de ocupação

Tolini afirmou que o Estado tem subnotificação da doença, mas lembrou que não há grande ocupação hospitalar. “Está muito tranquilo, com menos de 10% de ocupação”, disse aos conselheiros da OAB-TO. Ele contou que o Hospital Geral de Palmas (HGP) tem capacidade instalada de 12 leitos de UTI e até o final de semana, provavelmente, vai chegar a 20 e ainda há outros 20 leitos de enfermaria. “Somente o HGP terá 40 leitos para Covid-19”, ressaltou. O secretário afirmou que há também unidades em Araguaina e está tentando implantar em Gurupi.

900 afastados

Ele reclamou do fato de ter 900 servidores afastados na secretaria por conta do novo coronavírus, por serem do grupo de risco. “É muita gente numa secretaria com 13 mil servidores”, afirmou. Segundo o secretário, no HGP, 222 estão afastados. “Me fazem falta porque cada um tem sua atribuição. Até 60 dias não existiam enfermaria Covid e UTI Covid”, exemplificou. Para o gestor, não adianta colocar pessoas com pouca experiência para cuidar dos doentes. “Precisa de gente com qualificação”, defendeu.

Dnit não quer liberar emenda

Tolini revelou que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) não quer liberar para o Estado a emenda impositiva de R$ 10 milhões da deputada federal Dulce Miranda (MDB) para a saúde do Tocantins. O governo federal permitiu no início da pandemia o remanejamento para que os recursos pudessem ser canalizados para o combate à Covid-19. Dulce destinou o dinheiro para o órgão federal, mas, com o novo coronavírus, remanejou para a saúde do Tocantins. No entanto, conforme o secretário, agora o Dnit alega que já empenhou os recursos. “Então que desempenhe. Nessa hora [a saúde] é prioridade e [o recurso] vai fazer falta”, avisou Tolini.

Notícias Relacionadas

S.P.RODRIGUES COMUNICAÇÃO CNPJ 36.922.049/0001-49 Publicitária