Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Projeto piloto do App Salve Mulher atenderá, inicialmente, a cidade de Araguaína e já está disponível para download.

 

 

Nesta sexta-feira, 25, data em que se comemora internacionalmente o Dia da Não-Violência contra a Mulher, o Tocantins deu um grande passo rumo ao combate a este tipo de violência e lançou o aplicativo Salve Mulher. A plataforma é uma ferramenta da Polícia Civil que disponibiliza diversos serviços às mulheres que sofrem violência doméstica ou familiar, evitando que elas tenham que se deslocar até a delegacia para receber um atendimento imediato.

Desenvolvido pelo setor de Tecnologia da Informação da Secretaria da Segurança Pública do Tocantins (SSP-TO), o aplicativo está funcionando em fase de teste com o projeto piloto sendo executado, inicialmente, na cidade de Araguaína, onde ocorreu o lançamento. A ideia é que, após os ajustes necessários, o aplicativo passe a ser utilizado em todos os municípios tocantinenses. O download já está disponível para o sistema operacional Android.

 

O assessor de Tecnologia da Informação da SSP, Rodrigo Barbosa Rodrigues, explica que a ferramenta tem muitas funcionalidades, inclusive a possibilidade de solicitação de medida protetiva de urgência. “Nesse campo a mulher vai poder colocar todas as informações necessárias para que as autoridades policiais e judiciária possam agir, como os dados pessoais, descrição da violência, fotos do agressor, ferimentos, documentos dos filhos, etc. Também é possível obter esclarecimentos sobre os tipos de violência, fazer denúncias, obter informações sobre o que dizem as leis, a localização da delegacia e conhecer os parceiros que atuam no combate à violência contra a mulher”, explicou.

 

A delegada titular da 3ª Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher – 3ª DEAM de Araguaína, Sarah Lilian de Souza Rezende, afirmou que o aplicativo possibilita um socorro mais rápido às mulheres. “A intenção é facilitar o acesso aos serviços policiais, com o socorro o mais rápido possível. Com isso, modernizamos o sistema e tornamos mais acessíveis os canais de comunicação. Essa plataforma será de grande importância para salvar a vida de muitas mulheres”, disse a delegada.

 

Proteção aos direitos

Durante sua fala, o secretário da Segurança Pública do Tocantins, Wlademir Costa, destacou grande satisfação em dar mais um passo na proteção aos direitos das mulheres. “Para mim é um momento de grande alegria ver essa ferramenta se tornando realidade e ter, aqui, tantas importantes instituições reunidas para comemorarmos este grande feito. Teremos em Araguaína uma fase de testes, mas com certeza vamos expandir o uso do aplicativo para todo o Tocantins. Parabenizo pelo trabalho que tem sido desenvolvido e lembro que cada um de nós é responsável por fazer essa rede ficar cada vez mais fortalecida”, disse.

A juíza titular da Vara Especializada no Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Araguaína, doutora Cirlene Maria de Oliveira, também ressaltou sua alegria com a possibilidade de utilização do aplicativo pelas mulheres. “Me sinto muito envaidecida quando a Segurança Pública, especialmente a Polícia Civil, diante de tantos outros crimes que devem ser combatidos diariamente, tem a sensibilidade de voltar esse olhar para o combate à violência contra a mulher. Esse aplicativo vai dar mais segurança à mulher,  que vai poder acompanhar seu processo em tempo real, sabendo, por exemplo, se o agressor já foi intimado”, disse.

 

Araguaína

A delegada regional de Araguaína, Ana Maria Varjal, lembrou que o município conta com equipe altamente comprometida no combate à violência contra as mulheres e destacou os números deste ano. “No ano de 2022, até o mês  de novembro, já foram registrados 691 boletins de ocorrência na Delegacia da Mulher envolvendo violência doméstica. Foram 577 medidas protetivas de urgência, foram instaurados 646 inquéritos policiais e já foram terminadas 500 investigações. Essa atuação demonstra compromisso em buscar a efetiva proteção da mulher tocantinense”, destacou.

 

O delegado-geral da Polícia Civil, Claudemir Luiz Ferreira, também destacou a importante atuação do município de Araguaína no combate à violência. “Não foi por acaso que Araguaína foi escolhida pra começar esse projeto. A altivez no combate à violência contra a mulher neste município é  digna de aplausos. Aqui se vê que o trabalho acontece, inclusive com a alta resolutividade de casos”, lembrou.

Suzana Salazar, que representou o prefeito de Araguaína, Wagner Rodrigues, afirmou que o município tem muito a ganhar com a ferramenta. “Em nome do prefeito trago palavras de gratidão e reconhecimento pelo avanço que o Estado do Tocantins tem a partir da disponibilidade desta ferramenta. Ela marca um novo tempo na política de combate a este tipo de violência e o Município de Araguaína se disponibiliza a continuar somando com estas ações”.

 

Na ocasião, foi assinado o Termo de Cooperação entre a Secretaria da Segurança Pública e o Tribunal de Justiça com vistas à execução e fortalecimento de ações com objetivo de proteção da mulher.

Anúncios

Recentes